BLOG

Cateter para hemodiálise – Inserção pela técnica de Seldinger

Inserção de cateter para hemodiálise - Técnica de Seldinger

Por: BIOMED

de de

Inserção de cateter para hemodiálise pela técnica de Seldinger

Cateter para hemodiálise

Clique e conheça os cateteres para hemodiálise BIOMED

IMPORTANTE

O cateter para hemodiálise deve ser inserido bem como manipulado e removido por um médico qualificado e licenciado. As técnicas e procedimentos médicos descritos não representam quaisquer protocolos medicamente aceitáveis, tão pouco tem a intenção de substituir a experiência e critério do médico.

1. Durante os procedimentos de inserção, manutenção e remoção do cateter para hemodiálise deve ser utilizada uma técnica estritamente asséptica. Disponibilize um campo de intervenção esterilizado.

Utilize lençóis, instrumentos e acessórios esterilizados. Depile a zona acima e abaixo do local de inserção. Execute uma limpeza cirúrgica. Utilize bata, touca, luvas e máscara. Certifique-se de que o paciente utiliza máscara.

2. A seleção do comprimento adequado do cateter fica inteiramente ao critério do médico. Para conseguir a colocação adequada da ponta, é importante efetuar a seleção adequada do comprimento do cateter. Deverá ser sempre efetuado um raio-X após a inserção inicial deste cateter para confirmar a correta colocação antes da utilização.

3. Administre anestesia local suficiente para anestesiar completamente o local de inserção.

COLOCAÇÃO DO CATETER

4. Faça uma pequena incisão no local de saída, no tórax, a cerca de 8–10cm abaixo da clavícula. Faça uma segunda incisão acima e paralelamente à primeira, no local de inserção. Faça a incisão no local de saída, suficientemente larga para receber a manga, aproximadamente 1cm.

5. Por dissecação romba, crie a abertura do túnel subcutâneo. Ligue o cateter ao trocarte (um ligeiro movimento de torção pode ajudar). Deslize a manga de tunelização do cateter sobre o mesmo, certificando-se de que a manga cobre os orifícios arteriais do cateter.

Insira o trocarte no local saída e crie um túnel curto subcutâneo. Não tunelize através do musculo. O túnel deve ser feito com cuidado, para evitar danificar os vasos circundantes.

6. Para inserção na veia femoral: crie um túnel subcutâneo com o local de saída do cateter na região pélvica.

Advertência: durante a tunelização, não expanda demasiado o tecido subcutâneo. Demasiada expansão pode atrasar/evitar o crescimento interno da manga.

7. Guie suavemente o cateter pelo túnel. Não puxe nem estique a tubagem do cateter. Se notar qualquer tipo de resistência, a dissecação romba adicional pode facilitar a inserção. Remova o cateter do trocarte com um ligeiro movimento de torção, para evitar danificar o cateter.

Atenção: não puxe o tunelizador para fora do ângulo. Mantenha o tunelizador direito para evitar danificar a ponta do cateter.

8. Irrigue o cateter para hemodiálise com soro fisiológico e depois pince as extensões do cateter.

9. insira a agulha introdutora com seringa até à veia pretendida. Aspire para assegurar a correta colocação.

10. Remova a seringa e coloque o polegar sobre a extremidade da agulha, para evitar perdas de sangue ou embolia gasosa.

Extraia a extremidade flexível do passa-fio até ao avançador, para que a extremidade do passa-fio seja visível. Insira a extremidade distal do avançador no conector da agulha. Avance o passa-fio, com um movimento para a frente, passando pelo conector da agulha, até veia pretendida.

11. Remova a agulha, deixando o passa-fio na veia pretendida. Amplie o local de punção cutânea, utilizando o bisturi.

12. Passe o dilatador sobre o passa-fio para o vaso (pode ser utilizado um ligeiro movimento de torção). Retire o dilatador quando o vaso já estiver suficientemente dilatado, deixando o passa-fio no local.

13. Passe o introdutor sobre a extremidade mais próxima do passa-fio. Quando o introdutor estiver na veia pretendida, remova o passa-fio, deixando a bainha e o dilatador em posição.

15. Remova o dilatador e a tampa de injeção da bainha.

16. Insira a ponta distal do cateter através da bainha, até que a ponta do cateter esteja posicionada na veia pretendida.

17. Remova a bainha, puxando-a lentamente para fora do vaso, enquanto divide a bainha, agarrando as abas e afastando-os (um ligeiro movimento de torção pode ajudar).

Atenção: Não separe as partes da bainha que permanecem fora do vaso. Para evitar danificar os vasos, afaste a bainha o mais possível e separe-a apenas alguns centímetros de cada vez.

18. Faça quaisquer tipos de ajuste ao cateter sob fluoroscopia. A ponta venosa distal deve estar posicionada ao nível da junção auricular cava ou na aurícula direita, para assegurar um ótimo fluxo sanguíneo.
Nota: Recomenda-se que a ponta do cateter femoral seja colocada na junção da veia ilíaca com a veia cava inferior.

19. Ligue as seringas a ambas as extensões e abra as pinças. O sangue deve ser facilmente aspirado em ambos os lados arterial e venoso. Se qualquer um dos lados apresentar uma resistência excessiva à aspiração do sangue, pode ser necessário rodar ou reposicionar o cateter de modo a obter fluxos de sangue adequados.

20. Quando for alcançada uma aspiração adequada, ambos os lúmens devem ser irrigados com seringas de soro fisiológico. Certifique-se de que as pinças de extensão estão abertas durante o procedimento de irrigação.

21. Feche as pinças da extensão, retire as seringas e coloque uma tampa de injeção em cada conector luer lock. Evite o risco de embolia gasosa, mantendo sempre a tubagem da extensão pinçada, quando não está em utilização, aspirando e irrigando o cateter com soro fisiológico, antes de cada utilização.

22. Para manter a desobstrução, deve ser criado um fecho de heparina em ambos os lúmens. Consulte as diretrizes da heparinização utilizadas no hospital/clínica.
Atenção: Certifique-se de que todo o ar foi aspirado do cateter e das extensões. Se tal não for feito, poderá originar uma embolia gasosa.

23. Logo que o cateter para hemodiálise esteja fechado com heparina, feche as pinças e instale tampas de injeção nos luers fêmea das extensões.

24. Confirme a correta colocação da ponta com fluoroscopia. A ponta venosa distal deve estar posicionada ao nível da junção auricular cava ou na aurícula direita, para assegurar um ótimo fluxo sanguíneo.

FIXAÇÃO DO CATETER E CURATIVOS

25. Suture o local da inserção. Suture o cateter à pele, através da aba de sutura. Não suture a tubagem do cateter para hemodiálise.

Atenção: Deve ter cuidado com a utilização de objetos cortantes ou agulhas próximo do lúmen do cateter. O contato com objetos cortantes pode levar a uma avaria do cateter.

26. Proteja o local de inserção e de saída com um penso oclusivo.

27. O cateter para hemodiálise deve ser fixado/suturado, durante toda a duração de implantação.

28. Verifique regularmente a posição do cateter.

Kit cateter de curta permanência para hemodiálise